domingo, 18 de fevereiro de 2018

E agora um poema

"Incapaz de definir a tua forma, 
eu vejo-te ao meu redor. 
Tua presença preenche os meus olhos 
com o teu amor, 
acalenta meu coração, 
pois tu estás em todos os lugares."

Ouvi este poema no filme "A Forma da Água". Lá, dizia que foi escrito por alguém há muitos séculos atrás. Não disse quem era o autor mas o mais curioso é que pareceu-me familiar.  Já procurei na net mas não encontrei. De qualquer forma, gostei do poema e do filme. Recomendo.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

A vacina não é para todos?

Um dia destes, liguei para o centro de saúde porque a médica mandou a minha mãe levar a vacina da gripe. Ligo para saber se ainda existem vacinas disponíveis (para não ir enganada) e a enfermeira manda-me aguardar porque "vai ver". Espero. Ela volta e diz que "ainda tem mas são poucas, por isso venha já". A minha mãe veste-se rapidamente e vai até ao centro. Lá, é atendida por outra enfermeira que pergunta-lhe se comprou a vacina. Como assim? A vacina é gratuita para maiores de 65 e/ou doentes diabéticos. Pelo menos é o que anunciam na tv! A enfermeira diz que "acha que não tem mais nada em stock" (e pelos vistos o frio impedia-a de se mexer para ir procurar). Então, a minha mãe mostra-lhe o papel que a medica tinha dado e não é que subitamente a vacina materializou-se? Ó papel poderoso que arrebita toda a enfermeira e fá-la enfrentar o frio! No lugar magico e aparentemente com o dom de materialização de vacinas, a dita cuja dá o ar de sua graça et voilá! habemus vaccinae! 

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Review de 3 perfumes

Cá estou eu novamente para falar sobre perfumes novos que andei a experimentar. Em três experiências uma é para esquecer, outra é estranha e não sei bem o que dizer em relação a ela e a ultima é fofinha e querida.





Jesus del Pozo - Halloween

Recebi uma amostra grátis deste perfume e o mais curioso é que andei de olho nele pelas opiniões que tinha visto na net. Ainda pensei em comprar online porque era baratinho mas quando vi que as notas eram florais, fiquei de pé atras. Um belo dia, o perfume vem ter às minhas mãos e foi uma desilusão. Sim, é um perfume floral mas ao contrário do J'Adore da Dior por exemplo, este não é avassalador. Começa com um cheiro floral moderado mas desvanece ao fim de pouco tempo. Vai para a categoria dos sem-graça.
Pontuação: 2/5 




Thierry Mugler - Alien

Este perfume é um dos preferidos de muita gente, pelo que tenho visto no youtube. Achei que ia gostar dele por ser um floral branco e as criticas eram boas. O mais curioso é que gosto e não gosto e esta sensação é muito estranha. Se cheirar directamente do frasco está aprovado mas passados cinco minutos já não gosto. E isto acontece durante o dia todo. Sim, é forte, envolvente e misterioso e faz-me sentir bipolar. 

Pontuação: 3/5




Dolce & Gabanna - The One

Este perfume foi a grande surpresa do ano (2017). Comprei-o ao mesmo tempo que o Alien e se o esquisito roxo agradou-me à primeira (e depois mudei de ideia), o the one não conseguiu essa proeza mas depois de acostumar-me a ele, passei a gostar. Não é um perfume marcante e sensual mas é fofinho e inofensivo. Comparo-o a uma mulher que procura um homem quente, rebelde e sexy todos os dias mas um dia encontra um homem carinhoso, adorável e seguro e acaba por ficar com este ultimo porque o primeiro ia dar muito trabalho. 

Pontuação: 4/5

Imagens tiradas do site www.fragrantica.com

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Crítica literária: Um Casamento de Sonho





Autor: Domingos Amaral
Edição ou reimpressão: 05-2014
Editor: Casa das Letras
Idioma: Português
Páginas: 408

Sinopse: Quando na economia crescem as dívidas, no amor crescem as dúvidas. Foi a crise económica a culpada do falhanço do casamento de Leonardo e Constança, ou havia razões mais profundas e secretas? Confrontado com a notícia de um terrível acidente no Brasil, onde estão Constança e os seus filhos, Rita e Leonardinho, o melhor amigo de Leonardo vai acompanhá-lo numa difícil viagem à Baía.

É durante esse voo que Rafael se irá recordar de como tudo começou, com a majestosa festa de casamento dos seus amigos, na quinta da família de Constança, no ano de 1998. 
Quase vinte anos de memórias da vida de um grupo de amigos são percorridos, desde os tempos em que eram mais novos e acabados de se formar nas universidades, passando pelos casamentos e pelos nascimentos dos filhos, pela época eufórica em que o futuro era risonho e todos viviam bem, moravam em excelentes casas e viajavam pelo mundo felizes, até aos dias em que a felicidade começou a ruir, os casamentos a falhar, as traições a surgir, e a crise económica a gerar falências, dívidas e desilusões.

Opinião: 



Para começar, devo dizer que não entendo o motivo deste livro ter o titulo que tem. Não há nada na obra que lembre um "casamento de sonho". Talvez porque cada pessoa tem uma definição própria para o famoso dia e a minha não se encontra nas 408 paginas deste livro. A minha versão de "casamento de sonho" não inclui casar com uma pessoa para esquecer a outra, viver uma vida de luxo mas depois abandonar o marido quando as finanças já não permitem viagens a sítios paradisíacos e nem inclui ficar de olho no melhor amigo do marido. Mas isto sou eu que em determinadas situações posso ser antiquada! 

O livro começa bem e até cerca da pagina 120 não tinha nada contra ele mas depois aconteceu uma coisa que detesto tanto nos livros como nos filmes: a historia é interrompida para que uma personagem recorde os tempos passados. Pronto, temos o caldo entornado...

Leonardo e Constança deveriam ser as personagens principais mas é o amigo Rafael que assume todo o protagonismo. É ele quem lembra o passado e sente remorsos por uma situação que presenciou mas não contou ao amigo Leonardo.


O livro não me cativou, não encontrei nenhuma personagem com a qual simpatizasse e o final foi demasiado morno.


Pontuação: 2/5.
Foto e sinopse tirada do site: https://www.wook.pt/livro/um-casamento-de-sonho-domingos-amaral/15724237

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Caça aos homens!

Ultimamente, as atrizes de hollywood lembraram-se de denunciar casos de assedio sexual. Acho muito bem e concordo que todos os crimes devam ser denunciados mas isto já beira a histeria coletiva. É que se um homem disser a uma mulher que ela está bonita, vai ser logo acusado de assedio sexual e lá se vai a reputação que demora toda uma vida a ser construída, por agua abaixo num segundo. 

Como sou uma pessoa que gosta de investigar para não correr em erro grave, decidi procurar uma definição para assedio sexual.

O artigo 29º do codigo de trabalho diz: 
1 – Entende-se por assédio o comportamento indesejado, nomeadamente o baseado em factor de discriminação, praticado aquando do acesso ao emprego ou no próprio emprego, trabalho ou formação profissional, com o objectivo ou o efeito de perturbar ou constranger a pessoa, afectar a sua dignidade, ou de lhe criar um ambiente intimidativo, hostil, degradante, humilhante ou desestabilizador.

2 – Constitui assédio sexual o comportamento indesejado de carácter sexual, sob forma verbal, não verbal ou física, com o objectivo ou o efeito referido no número anterior.

Toda a gente sabe que há muitas mulher a irem para a cama com os homens por interesse, seja financeiro ou profissional. O problema é que isso tornou-se banal e a mulher que foge à regra é logo maltratada. O tal do Weinstein (de quem nunca ouvi falar antes deste assunto vir à baila), era um desses homens poderosos, com amigos poderosos e influente q.b para deixar na prateleira todas as mulheres que recusaram as suas investidas. Isto até que um dia, alguém teve coragem suficiente para falar e as denuncias surgiram em catadupa. Muitas mais surgirão mas é preciso saber distinguir a árvore da floresta. E é isso que Catherine Deneuve (e mais 100 atrizes) diz numa carta aberta.“A violação é um crime. Mas tentar seduzir alguém insistentemente ou de forma desajeitada não é, nem o cavalheirismo é uma agressão machista”.
Diz ainda na carta: “Como mulheres, não nos reconhecemos neste feminismo, que além de denunciar o abuso de poder assume um ódio aos homens e à sexualidade“.

Achei bem interessante esta carta e apesar de não concordar com tudo o que lá está escrito, é preciso olhar para os dois lados e não cair em exageros e nem partir do principio que todos os acusados são verdadeiramente culpados. É que já existe já uma lista de 400 pessoas a acusarem outras 237 de assedio e ela não vai parar de aumentar...

domingo, 7 de janeiro de 2018

Primeiro do ano

Acabou-se o natal, o fim de ano e os réis. Muitos outras festas vão chegar ao longo do ano mas aqui na Madeira, estes dias são uma verdadeira azáfama. São as missas do parto, as missas do galo as missas do natal e são tantas as formas de festejar dentro e fora da igreja, onde o sagrado e o profano convivem em harmonia. Não sei se é por estar numa ilha mas estes dias festivos parecem mais aconchegantes do que noutro sitio qualquer. É assim todos os anos e assim será, por muitos mais.
Agora que um novo ano começou, há sempre o desejo de que este seja melhor, mais alegre e mais recompensador no geral. Temos de pensar positivo embora nem sempre seja fácil mas como diz o velho ditado: enquanto há vida, há esperança. Vivamos!