domingo, 13 de maio de 2018

Eurovisão 2018

Já passou...já passou... o festival da bizarrice já acabou!

Podia ter ganho uma balada:

Podia ter ganho uma musica que fala do drama dos refugiados:

Podia ter ganho uma opera:

E porque não o meu preferido?

  Ou este?

Ao melhor cabelo de todo o festival? Cá pra mim, aquilo tem vida própria!

Mas não... a canção vencedora apela ao Eladio Climaco que existe em nós, tamanha a revolta por a vitória ser da pior musica a concorrer. Ganhou a musica galinácea, esquisita, bizarra, pimba de Israel (não vou por aqui para não assustar quem ainda não ouviu).
Ah! E quanto a Portugal? - perguntam vocês. Nada de novo. Ficamos em ultimo. Desta vez acertei nas previsões. Esperem aí que vou fazer um euromilhões e já venho. Aié aié aié...

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Não existir

A coisa que mais me assusta nesta vida é o pensamento de deixar de existir. Mais do que morrer. Muita gente acredita em reencarnação, vida após a morte ou vida eterna na companhia de seres celestiais. Admiro esse pensamento mas não tenho a certeza de nada e pensar que um dia não estarei mais aqui (nem em lugar algum), assusta-me tremendamente. Como é não existir? Será só isto que temos? 
A maioria da população tem uma vida infeliz, seja por causa de guerras, fome, doença, violência, etc. Lutamos desde o primeiro momento de vida e alguns conseguem ser realmente felizes mas e os outros? E aqueles que só conheceram sofrimento? Não será terrivelmente injusto nascer para sofrer e depois morrer? 
Por isso fico fascinada por historias de fantasmas. Isso mostra que a morte não é o fim e de alguma forma estaremos sempre vivos. Se é verdade ou não, não faço ideia. Nunca vi nenhum fantasma, infelizmente. 

terça-feira, 17 de abril de 2018

Mais perfumes para a coleção

Definitivamente eu não concordo com a preferência da maioria. Não é que voltei a experimentar 3 perfumes de marca e acertei (mais ou menos) num?



O primeiro foi o Light Blue da Dolce & Gabbana. Ceus, onde é que eu estava com a cabeça? Terei sido momentaneamente abduzida por um ser alienígena? É que não pode haver outra explicação para a escolha de tamanho desastre. Ah já sei! Fui atrás das opiniões de outras "escorpionas" na net e posso concluir que há gostos muito estranhos.
O Light blue é um perfume cítrico (o desastre começa aí), verde, fresco e frutado. Ok, a parte cítrica já me deixou de pé atrás mas quis arriscar por causa do "verde e fresco". O pior é que associei "fresco" a aromas de menta ou eucalipto e não é nada disso que este perfume tem. Fresco? Frutado? Eu só sinto o cheiro do limão siciliano (tive de procurar na net que raio de cheiro era este porque parecia-me de um citrino qualquer) e mais nada. Até é um bom cheiro... para um ambientador. Para perfume de mulher? Não me parece. Ah! quanto à duração do perfume é praticamente inexistente. 1 hora depois não me cheirava a nada.
Pontuação: 2/5


O Si do Giorgio Armani era a minha escolha preferida e posso dizer que não foi um desastre completo porque entrou na minha lista de preferidos (na falta de coisa melhor). As notas principais de baunilha, aromático, verde e frutado fazem com que ele seja fofinho e doce. Ainda não é o meu perfume ideal mas serve. Curiosamente eu estava à espera de algo mais quente e oriental mas não foi isso que obtive. A duração é boa e é uma escolha segura para quem não quer nada de muito exagerado.
Pontuação: 4/5




Sigam o meu raciocínio: se eu quero um perfume sensual, o ideal seria um perfume da playboy porque o que não falta às coelhinhas é sensualidade, certo? Errado.
Após intensa pesquisa, o Play it Pin Up foi a minha escolha. Mas o que é que eu estava à espera de um perfume de 3.90€? O frutado doce do perfume com pera e piña colada mais parece uma bebida de verão que derramou por mim abaixo. Nem todos os perfumes baratos cheiram a coisa barata mas este não é o caso. Ele é barato e cheira a coisa barata.
Pontuação: 2/5

Imagens tiradas do site: https://www.fragrantica.com/

terça-feira, 3 de abril de 2018

Os meus tios

Os meus tios maternos são pessoas espectaculares. A sério! São homens de trabalho (pescadores e pedreiros) mas ao contrário do que acontece hoje em dia, sempre foram educados para fazer as tarefas domesticas como as mulheres. Talvez por isso, arrumam, lavam, cozinham e deixam a casa limpinha muito melhor do que as esposas. Se pensam que eles são uns paus-mandados das mulheres, estão redondamente enganados. Nada disso! Só acham que são mais competentes do que elas e como não vão ter o serviço nas condições desejadas, preferem fazê-lo. Claro que isso deixa as mulheres irritadas e apesar de admitirem que eles fazem tudo melhor, com o passar dos anos passaram a ter raiva deles. Raiva essa que se transferiu para todos os membros da família do marido porque... sim. 
Algumas das queixas das mulheres à minha mãe são: "O teu irmão não pode ver um prato lavado sem ir logo a correr secar e arrumar." 
"O teu irmão não pode ver uma folha no chão sem ir logo apanhá-la para por no lixo." 
"O teu irmão sabe cozinhar melhor que eu!"
E a minha mãe não vê problema nenhum nisso. Eu também não. Tomara muitas mulheres terem maridos assim! 
Com o passar dos anos, as mulheres perceberam que não faziam tanta falta assim e isso chateia-as imenso. Como são de uma geração onde nem se pensa no divorcio e o único trabalho que fizeram foi em casa, aguentaram um casamento com um homem que não se deixa mandar. Isso é chato quando se vive numa ilha onde as mulheres estão em maioria e são mandonas!  

sexta-feira, 23 de março de 2018

Novidades? Nadica de nada!

Meus amores, minhas queridas, minhas joias, 
Escrevo estas parcas linhas para dizer que a preguicite cronica veio para ficar. Tenho livros para ler e ainda não peguei neles, tenho milhões de coisas para fazer (até dieta porque o verão está próximo) mas mexer-me que é bom, só se for no piloto automático. Não, não morri, não viajei, não ganhei o euromilhoes, nem casei com um milionário saudita. O desaparecimento do meu e dos vossos blogs deve-se a um único mal, porém já vosso conhecido: preguiça. 
Eu sei que já disse isto antes mas agora é que vai ser mesmo a sério: vou tentar empenhar-me ao máximo para ser mais pontual nos vossos blogs (e no meu também), já a partir... da semana que vem. Sim, é sempre melhor começar a semana em grande porque o fim de semana está à porta e se há dias em que não me apetece fazer nada são no sabado e no domingo.
Beijos, kisses, bisous! 

terça-feira, 6 de março de 2018

Oscares e festival

Os oscares terminaram e este ano, os prémios foram divididos pelos vários nomeados. Acho bem, porque assim ninguém se chateia. Guillermo del Toro ganhou o oscar para melhor realizador e foi bem merecido com o seu "A Forma da Agua".
Quanto a vestidos, minhas amigas e meus amigos, nada de jeito. Vimos do 8 ao 80: as senhoras mais idosas optam pelos básicos e as mais jovens exageraram na dose. 

Em Portugal, a canção que vai representar o pais é uma marcha fúnebre. 
Ano passado o Salvador queria amar pelos dois, este ano a Claudia ama quem já morreu e quer ir lá parar. 
Mais uma vez não gosto da musica que levaremos à eurovisão, o que até pode ser um bom sinal porque também não gostava da que cantou o Sobral e deu no que deu. Quem não ouviu, oiça e diga-me o que achou.